29 de abr de 2019

Pizza de Pão Sírio!

Pizza de Pão Sírio!


Outro dia eu falei sobre o pão sírio e a origem da pizza. A ideia era somente publicar a receita da Fabiana Bontempo, a minha irmã cervejeira. Mas, depois de pesquisar sobre o tema, vi que queria contar essa história. 

Não sei se isso é coisa de jornalista, mas sou uma apaixonada por narrativas. Afinal, quase tudo tem um começo e um porquê e eu adoro descobri-los. E quanto mais leio sobre gastronomia vejo que o simples é genial e, normalmente, se torna bem mais saboroso. 

Pizza de pão sírio da minha irmã cervejeira, a Fabiana Bontempo.
Foi assim com a pizza de pão sírio da Fabiana. Saber da história me deixou com ainda mais vontade de postar aqui o passo a passo desse lanche rápido e milenar. Para a base da sua pizza você vai precisar, obviamente, de pão sírio. 

Eu, normalmente, faço dois disquinhos para mim e três para o Thiago. Mas isso vai depender do tamanho do pão e da sua fome. Para fazer o recheio da sua pizza de pão sírio compre os ingredientes de sua preferência.

Pão sírio é a base da pizza da Fabi! Foto: smittenkitchen.com
Aqui em casa eu uso, normalmente, molho de tomate, lombo canadense defumado, queijo muçarela, manjericão e rodelas de tomate. Mas a pizza é sua e gosto não se discute, né? Lá na casa da Fabi, ela costuma fazer a pizza usando os seguintes ingredientes: 

- 2 pães sírios por pessoa divididos em duas metades
- molho de tomate
- tirinhas de bacon
- queijo muçarela ralado
- geleia de pimenta
- rodelas de lombo canadense defumado
- pedaços de abacaxi

Mini pizza de pão sírio. Uma ótima opção para o seu lanche da noite!
A montagem é algo bem simples. Basta abrir o pão sírio ao meio e usar cada metade como base para a pizza. Outra opção é “murchar” o pão e recheá-lo com o pão sírio inteiro achatado. A base vai ficar mais grossinha e eu prefiro assim. Você pode, ainda, fazer a sua massa de pão sírio, mas isso é assunto para outro post.

Com a base pronta, basta colocar as camadas do jeito que você faria com uma “pizza normal”: molho de tomate, queijo muçarela, geleia de pimenta, lombo canadense e abacaxi. Detalhe, o molho que a Fabiana usou é aquele de saquinho, já pronto. Eu não recomendo porque produtos industrializados devem ser evitados.

A montagem da piza é bem fácil.
Mas eu entendo que nem sempre a gente tem tempo ou ânimo para fazer o molho de tomate caseiro. Caso você queira jogar nessa empreitada, eu deixo aqui o link para a minha receitinha básica de molho de tomate caseiro. Você vai ver que nem tem comparação. O molho caseiro é bem mais bonito, saboroso e saudável!

Outro detalhe: eu não gosto de muçarela. Sou apaixonada por queijo, mas acho que a muçarela não tem gosto de nada. E aí eu penso assim: para comer gordura tem que valer muito a pena! Então aqui em casa eu sempre substituo a muçarela por queijo gorgonzola. Falando nisso, você sabe a diferença do exemplar da foto abaixo para o queijo roquefort?

Adoro queijo gorgonzola. Deixa a minha pizza ainda mais saborosa!
O roquefort é um queijo de fabricação francesa, feito a partir do leite da ovelha. Já o gorgonzola, que é o queijo que eu mais gosto, é de origem italiana e é fabricado com leite de vaca cru. O dois podem ser chamados de “queijos azuis” pelo fato de possuírem aquelas veias azul-esverdeadas que formam delicadas incisões na massa.

Dica: como o roquefort e o gorgonzola são bem parecidos, se você não conseguir identificá-los pela cor e textura, saiba que é quase impossível confundi-los ao prova-los. O sabor do roquefort é bem mais marcante. E acho que é por isso que eu prefiro o gorgonzola. Outra forma de distingui-los é pelo preço. O gorgonzola é um queijo bem mais barato que o primo francês.

Se não quiser arriscar usando um queijo mais forte não tem problema. Com a muçarela vai ficar bom também.
Mas substituir o queijo é só uma sugestão, tá? A sua pizza de pão sírio também vai ficar deliciosa com a muçarela. Aliás, eu até gosto de muçarela. O que eu não gosto é dessa muçarela que encontramos atualmente no mercado. Não sei se é do seu tempo, eu sou de 1978, mas quando eu era pequena o único queijo que eu conhecia era a muçarela e ela era deliciosa.

Fui pesquisar o que aconteceu com aquela peça saborosa que desapareceu das prateleiras e encontrei um site incrível, o “O Quê do Queijo”. Lá eu descobri que eu não sou a única indignada pelo fato da muçarela não desfiar mais como antigamente. A resposta é simples (e dolorosa): simplesmente porque o mercado, principalmente o das pizzarias, está atrás de um queijo que derreta por completo.

Os pizzaiolos querem um queijo que derreta. E já prefiro um que tenha sabor. Foto: Buenosia Carl / CreativeCommons.org / Pexels.com
É isso. Perdemos a boa e velha muçarela com a justificativa de para satisfazer a demanda do principal consumidor desse produto. As blogueiras e especialistas em laticínios, Carla Reis e Renata Curzi entrevistaram uma sumidade nesse tema no Brasil, o Múcio Mansur Furtado.

Furtado é PhD no assunto e autor do famoso livro “A Arte e a Ciência do Queijo”, lançado no Brasil no início dos anos 90. De acordo com o queijeiro e professor, a muçarela produzida para ser vendida para os pizzaiolos é feita com leite pasteurizado e menos salgado.

A muçarela que compramos no mercado não é mais a mesma.
Não daria para explicar aqui os detalhes mas esse processo impossibilita a formação das fibras da muçarela. Por outro lado, consumir uma muçarela produzida a partir do leite cru pode ser algo arriscado.

Então, para os saudosistas, Furtado cita o queijo trança. O famoso exemplar mineiro, sobretudo o produzido no interior, ainda mantém essa textura fibrosa. Eu não tinha pensado nisso e confesso que adorei a solução e o blog das meninas. Recomendo!

Muçarela de trança, o famoso queijo mineiro. Foto:  Foto: mickey_mcguires_cheese / CreativeCommons.org / Picdeer.com
Bem, decidido o queijo e com a pizza montada é só levar os disquinhos ao forno pré-aquecido para derreter o queijo. Aqui em casa eu tenho forno elétrico com grill e acho ótimo porque, além de esquentar o queijo fica dourado e a pizza linda!

Ah, não se esqueça, é pizza de pão sírio. Ou seja, a massa já está pronta. Por isso não precisa de muito tempo de forno para ficar pronta. Dependendo da potência do seu forno, em 5 minutinhos seu lanche vai estar pronto.

Não deixe a pizza muito tempo no forno. É só para esquentar o recheio.
E como a base é bem simples, você pode fazer no mesmo dia pizza de vários recheios. Outra cobertura que a gente costuma fazer aqui em casa é uma variação da marguerita, usando tomate, muçarela, manjericão, cebola e azeitonas pretas.

Também fica saborosa e super bonita. Tanto que a foto dessa delícia é a capa da matéria "O Pão Sírio e a Origem da Pizza". Lembrando sempre que a pizza de pão sírio é sua! Faça da forma que achar melhor!

Gostou desta postagem? Então siga o Vida de Cozinheiro nas Redes Sociais e ajude a divulgar o nosso trabalho compartilhando este conteúdo!


Toda nossa obra é oferecida gratuitamente aos leitores. 

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only

Start typing and press Enter to search