Hambúrguer Artesanal do Maridão!

Por quarta-feira, 25 de abril de 2018 , , , , ,


Hambúrguer caseiro é, pra mim, um dos lanches mais saborosos! Vira e mexe eu faço aqui em casa! Não é difícil de preparar e nem custa caro. E acaba sendo uma atividade bem divertida.

Tanto que até o maridão resolveu entrar na brincadeira. O último sanduíche artesanal foi feito por ele. Chamamos os meus sogros e fizemos a festa aqui em casa! De tão incrivelmente gostoso, eu resolvi tirar as fotos e postar a receita do Thiago aqui. As medidas são para fazer dois bifes, ok?

Thiago não prepara muitos pratos, mas quando entra na cozinha só faz coisa boa!
HAMBÚRGUER DO MARIDÃO!

Para o preparo de dois bifes de carne você vai usar:

. 400 gramas de carne moída. Dessa vez, por indicação do açougueiro, eu comprei acém. Mas, normalmente, uso paleta, patinho, contrafilé ou picanha. Você pode usar a carne da sua preferência. Só não esqueça de priorizar os cortes macios e que contenham um pouco de gordura porque senão o bife de hambúrguer vai ficar seco.

Dessa vez eu usei acém. Aceitei a sugestão do açougueiro e me dei bem. A carne estava ótima!
. uma pitada de sal. Detalhe: eu vou provando, até achar o ponto certo. Sempre "pra menos" porque queremos sentir o gosto da carne, não é mesmo?

. um pouco de pasta de alho. Em quase tudo o que faço aqui em casa eu uso meu Tempero Verde. Mas na carne do hambúrguer o Thiago preferiu usar a pasta de alho feita pela minha querida tia Hilda, a responsável pelos deliciosos bolinhos "Cueca Virada". É um tempero bem básico, que só contém alho e sal batidos.

Tempero de alho e sal feito pela minha querida tia Hilda.
Modo de fazer o bife de hambúrguer:

Em uma tigela, coloque a carne moída, o sal e a pasta de alho. Misture todos os ingredientes usado uma colher ou com as mãos. Detalhe: sempre com as mãos muito bem limpas, lavadas na hora, com as unhas cortada e sem esmalte, aliança ou anel, ok? Seguir as boas práticas na cozinha é fundamental!

Thiago preferiu usar a colher para mexer a carne. Só colocou as mãos na massa na hora de moldar o bife.
Dica: só tempere a carne moída e misture tudo no momento de fazer o hambúrguer ou algumas horas antes. Isso porque o sal desidrata a carne e, dependendo da quantidade colocada, pode deixar sua carne soltando água.

Vá colocando o sal (aos pouquinhos) e provando. É a melhor forma para não salgar demais a carne.
Depois de tudo misturado é só dividir essa carne em duas porções iguais (de 200 gramas) e moldar o hambúrguer. Você pode dar o formato com as mãos ou usar um acessório semelhante ao da foto abaixo que que comprei num site chinês por 5 dólares americanos.  

Claro que dá pra moldar o bife nas mãos, mas com essa prensa fica bem mais fácil.
Só que tem uma regrinha básica na hora de moldar a carne: o cuidado com a espessura do bife. Não sei se você sabe, mas a altura interfere na textura, na suculência e na aparência final do seu hambúrguer. 

Moldando um bife menor e mais alto (tipo uma bolinha) você terá dificuldade de acertar o ponto do cozimento e ele poderá ficar muito mal passado. E moldando o bife fino demais você corre o risco de deixá-lo seco. 

Para usar a prensa é simples. Basta encher a forma de carne.
E apertar para moldar o bife. Fácil, né?
O bom desse acessório é que deixa todas as carnes do mesmo tamanho e altura.
Aqui em casa a gente tenta fazer um bife esteticamente proporcional ao tamanho do pão. E sempre dá certo. Por falar nisso, o pão não deve ser qualquer um, né? Não tem nem graça fazer uma carne linda, suculenta, fresquinha e colocá-la num pão industrial duro e sem gosto.

Pois é. Tem gente que faz o próprio pão. A Carol Moura, Chef da hamburgueria do Marauba Beach House, faz o melhor pão de hambúrguer que já comi na minha vida! Até deu vontade de fazer para a preparação do Thiago, mas confesso que fiquei com preguiça. 

Um pão macio e fofinho faz toda a diferença no seu hambúrguer artesanal!
Aí compramos numa padaria aqui de Brasília, famosa por sua produção artesanal. Sem dúvida, o delicioso pão da La Boulangerie fez toda a diferença!

Pão cuidadosamente escolhido, voltemos à carne. O Thiago queria colocar bacon picado no hambúrguer então, primeiramente, ele cortou o bacon, fritou os pedacinhos de bacon e reservou essa carne defumada para usar no recheio.

Sei que bacon todo dia não faz bem, mas no hambúrguer é tudo de bom! Adoro!
Maridão jornalista e cozinheiro. O que mais eu poderia querer? Amo demais!
Frite o bacon primeiro porque a gordura que vai sair dele será usada pra você passar a carne.
Nessa gordura, passamos os bifes. Antes de fritá-los, salpicamos na carne um pouquinho de pimenta do reino moída na hora e mais um pouquinho de sal.

Outra coisa: não precisa ficar virando a carne de um lado para o outro e nem apertando a carne contra a frigideira. Se você também curte o hambúrguer mal passado é só deixar a carne fritar em fogo alto (ou médio, dependendo da altura da chama) e depois de uns 2 minutos virar o bife para fritar do outro lado.

Carne na frigideira tem que ficar quieta. Nada de ficar apertando ou virando toda hora o bife.
Sei que o "ponto da carne" é algo bem pessoal. Eu prefiro comer toda carne mal passada porque assim a carne fica mais suculenta. Mesmo porque, se o seu hambúrguer passar do ponto, vai ficar com gosto de carne cozida. 

Você vai ver que a metade do bife já mudou de cor. Esse é o momento de virá-lo.
Pra mim, são no máximo 5 minutos e pronto! Dica: como o centro da carne, principalmente o das mal passadas, solta uma água depois do preparo. Se você não quer aquele líquido molhando o seu pão, o ideal é deixar o bife descansar (por um minuto) para evita isso.

E, ao contrário, adoro esse caldinho e, por isso o Thiago já tirou a carne da frigideira e a colocou direto no pão.

Cuidado ao cortar o pão. Não precisa dividi-lo em metades iguais, mas estas devem ser parecidas. 
Carne de hambúrguer mal passada. Aqui em casa a gente gosta assim.
Os pães já estavam cortados e com maionese. Claro, o ideal seria ter feito uma maionese caseira. Mas a preguiça também não deixou. Usamos o produto industrializado mesmo e, por causa disso, passamos bem pouquinho em cada metade.

Você pode (e deve) substituir a maionese industrializada por uma caseira. Ou até mesmo por um molho inventado na hora.
Além da maionese e do bacon, o Thiago decidiu fazer também usa cebola caramelizada. Adorei a ideia! Deu um toque todo especial. Vale a pena anotar os ingredientes e fazer no seu próximo dia do hambúrguer.

Para a cebola caramelizada (para dois hambúrgueres) você vai precisar de:

A cebola caramelizada foi, sem dúvida, a cereja desse bolo!
. 1 fio de azeite
. 1 cebola roxa
. 1 colher de sopa de aceto balsâmico
. 1 colher de sobremesa de açúcar cristal (acho que também pode ficar bom com o mascavo)
. 1 colher de chá de sal

Você pode até usar a cebola normal, que é bem mais barata. Mas a roxa dá um toque lindo, né?
Pique a cebola como preferir. Os pedaços desiguais vão deixar seu hambúrguer ainda mais charmoso.
Para fazer é bem fácil! Pique a cebola, coloque-a na panela juntamente com todos os ingredientes citados acima (aceto, açúcar, azeite e sal). Leve a panela ao fogo e vá mexendo até o molho quase secar por completo. A cebola vai dar uma "murchada" e ficar com uma aparência incrível.

Acrescentando o aceto balsâmico.
E colocando o açúcar. Não tinha do mascavo nesse dia. Mas acho que pode ficar bom também.
Leve essa mistura ao fogo até a cebola ficar macia e esse caldo secar.
Com todos os componentes prontos, é só acabar de montar o hambúrguer. Coloque no pão (que já estava com maionese e carne) a cebola caramelizada e o bacon. Pra acompanhar essa delícia, nada melhor que um suco natural, uma água saborizada ou uma cerveja artesanal bem gelada.

Montando o hambúrguer: pão, maionese, cebola caramelizada...
... pedacinhos de bacon frito...
... e a outra metade do pão. Lindo, saudável e bem fácil de fazer!
Adorei essa receita inventada pelo Thiago. E meus sogros também! A noite de sexta foi bem divertida e especial. O maridão optou por colocar só cebola caramelizada e bacon no recheio e essa combinação ficou perfeita!

Olha aí o sorrisão da dona Maria ao fundo. Meus sogros também adoraram o lanche do Thiago!
Mas você pode incrementar do jeito que preferir. Pode colocar uma rodela de tomate, uma fatia de queijo, folhas e até frutas. O hambúrguer é seu. Aproveite. Faça como você quiser! Mas, por favor: faça. Ou vá numa boa hamburgueria artesanal. Fast food nem pensar, ok?

LEIA TAMBÉM:
. Alimentação consciente: é o que temos pra hoje!
. Banana com cara de batata!
. Molho de cogumelo Shitake!
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Gostou desta postagem? Então siga o Vida de Cozinheiro nas Redes Sociais e ajude a divulgar o nosso trabalho compartilhando este conteúdo!


Toda nossa obra é oferecida gratuitamente aos leitores. 

Você também pode gostar!

2 comentários

  1. Mari , adore efeito. Faço aqui na polonia mas ponho um pouco de Bacon processado no bife. Pode congelar , por sal que não desidrata .
    Por aqui eu como baconão quase todo dia. Não sou muito chegada a carnes mas bacon, 2 fatias... faz mal não . Kkk parabens pra vcs . Parceria eh isso . Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, minha querida! Verdade, não basta ser marido. Tem que ser parceiro! Com relação à desidratação da carne, eu dou o toque porque não sei quanto sal a pessoa vai colocar na carne. Dependendo da quantidade acrescentada e o tempo que essa carne vai "esperar na geladeira" pra virar bife de hambúrguer, ela pode soltar uma água sim. Claro, nada pra encharcar a carne. Mas pode atrapalhar a estrutura do bife. Por isso dou o toque. Mais uma vez, muito obrigada pela sua eterna audiência (rsrs) e por sua amizade e carinho! Saudade! Beijo grande! Fiquem com Deus.

      Excluir