Vida de Cozinheiro com muito Amor!

Por terça-feira, 12 de dezembro de 2017


O post de hoje não é para falar de comida. Mas tem tudo a ver com essa minha Vida de Cozinheiro! O texto é uma homenagem ao maridão e e às nossas "Bodas de Madeira".

Se não fosse você, Thiago Inter, esse site nem existiria! E não é exagero não! Porque até você entrar no meu coração esse portal era um blog feio, sem muito conteúdo e atualizado raramente.

Nossa primeira festa juntos: Prêmio CNT de Jornalismo 2012.
Então, nada mais justo que meu agradecimento hoje, nesse dia tão especial pra nós, fique registrado aqui.

Muito obrigada pelo companheirismo, pela amizade, pela dedicação e por fazer parte de todos os pedacinhos da minha caminhada, principalmente dessa minha jornada de cozinheira/jornalista!

Amor que o trabalho me deu! Muito obrigada Rede Minas e TV Brasil!
Já são cinco anos juntos, somando namoro e casamento. Nossa data oficial, inclusive, é bem significativa: 12/12/12. De lá pra cá sou, literalmente, outra pessoa. Quem me conhece sabe o quanto mudei em tão pouco tempo.

É, realmente, podem não ser muitos dias de convivência. 1825, pra ser mais exata. Mas essas horas renderam tanto que fica difícil acreditar como fizemos tantas coisas num período tão curto.

Todas as viagens foram incríveis, a começar pelo Uruguai. Nesse caso aí da foto, Punta Ballena.
Tem gente que se casa e ganha uma casa. Eu ganhei o mundo! Juntos já conhecemos 14 países. Viagens incríveis que nos aproximaram de uma maneira assustadora.

Todas devidamente registradas no site do maridão, o Próximo Embarque. Aventuras que, sem dúvida, me tiraram da zona de conforto!

Enfrentando o meu medo em Boca da Onça, Bonito, Mato Grosso do Sul.
Logo eu, que tenho pavor de altura, já fiz rapel na maior plataforma fixa do gênero no Brasil. A peripécia foi lá em Bonito, um dos lugares mais mágicos que já conheci na vida. 

Juntos também já entramos numa jaula repleta de crocodilos. A façanha foi lá no Croco Cun, em Tulum, no México.

Novamente enfrentando meus medos... Dessa vez em Tulum, na Riviera Maya, no México.
Deu medo? Não mais que dormir ao ar livre no meio da Floresta Amazônica. Ou entrar nas escuras águas do Rio Negro e nadar com o boto cor-de-rosa.

Ou descer de bote numa corredeira ou, ainda, dar de cara com uma sucuri durante um mergulho no Rio da Prata. Foram tantos momentos surreais que fica até difícil listar.

Snorkeling é moleza. Difícil mesmo foi dar de cara com a sucuri. Pena que ela "fugiu" da foto.
Mas se é pra enumerar, então comecemos. Sim, eu vi uma embarcação gigantesca atravessando o Canal do Panamá. E, lá, ainda contemplei o encontro dos oceanos Atlântico e Pacífico.

E por falar em construções engenhosas, também vi de perto toda a grandiosidade de uma das maiores obras da arquitetura moderna, a Itaipu Binacional. E também senti toda a energia das águas das Cataratas do Iguaçu. Conseguimos até unir Brasil e Argentina em uma única foto.

Viajantes sendo turistas. Sim, a gente tinha que tirar essa foto!
E descobrimos que, depois de um longo caminho, o diferente não é só bom. É o que, de fato, nos faz crescer.

E aprender com as diferenças foi enriquecedor! Nos aproximou de Deus e de nós mesmos. Nos fez perceber o que o que falta e o que sobra em nós. Deus uniu com um propósito bem claro: despertar na gente os sentimentos que realmente importam.

Casamento é assim: segura nas mãos de Deus e vai! Muito felizes em Montevidéu, no Uruguai.
Força e fé que também tirei da nossa contemplação em Key West, o pôr-do-sol mais bonito de toda a minha vida!

Lá conhecemos o Southernmost Point, que como o próprio nome diz, é ponto mais ao sul dos Estados Unidos, estando a 145 Km de distância (em linha reta) de Cuba.

Contemplando o pôr-do-sol em Key West, na Flórida, EUA.
Aliás, em Cuba nunca fomos. Mas já estivemos bem perto de lá por duas vezes. A primeira vez que tivemos a sensação de quase enxergar Cuba do outro lado do oceano foi em Isla Mujeres, no México. Fomos até a ilha caribenha só pra isso.

E visitamos o Templo de Ixchel, em Punta Sur. Lá está a escultura da principal deusa Maya, que marca o ponto mais próximo, em linha reta, do México à Cuba.

Punta Sur, Isla Mujeres: o ponto mais próximo do México à Cuba.
Conhecer novas religiões também é algo que nos fascina e nos faz refletir. Descobrimos, através de nossas andanças, que até Buda pode ter várias faces.

No templo budista Chen Tien, em Foz do Iguaçu, a escultura é "gordinha". Já no Templo de Nara, onde fica a maior escultura de bronze do Buda no Japão, vimos que ele é bem mais magro. Dois do mesmo. Igual a gente!

Imagem de Buda do Templo Chen Tien, em Foz do Iguaçu, Paraná, Brasil.
Imagem de Buda do Templo Todaiji, em Nara, no Japão.
E as loucuras gastronômicas? Também foram "de respeito"! Jantamos em restaurantes chiquérrimos, e provamos comidas pra lá de picantes.

Brindamos em Praga, na República Tcheca, com a cerveja de Pilsen (isso, feita na cidade que é o berço variedade da bebida), conhecemos duas casas giratórias, a da Cidade do México e a de Berlim.

Comemorando mais uma viagem juntos no Sphere, o restaurante giratório de Berlim, Alemanha.
Provei a Opéra, a famosa torta francesa e voltamos no tempo e jantamos num restaurante pré-histórico e até comemos grilo contemplando a igreja construída em cima da maior pirâmide subterrânea do mundo!

Teve romance? Claro! Beijos então, foram incontáveis. A maioria registrada em foto ou vídeo. Um dos primeiros, que é uma das fotos que mais adoro, foi em Caminito, Buenos Aires, Argentina.

Beija eu, beija eu, beija eu, me beija... Romance em Caminito, Buenos Aires, Argentina.
E o mais clichê, que só clicamos pra tentarmos deixar essa nossa caminhada um pouco mais "normal", foi na Torre Eiffel que, pra mim, não é um dos lugares mais incríveis da capital francesa.

E que fique registrado, em Paris não vimos só a Torre Eiffel. Conhecemos as Catacumbas, que deixam o subterrâneo da Cidade Luz ainda mais fascinante!

Depois de tirarmos 4 mil fotos durante as andanças pela Europa, essa aí não podia faltar, né?
Aliás, esse é o melhor de estar casada com alguém tão parecido comigo: sempre ter companhia para as doideiras que eu invento.

E o Thiago não é só o melhor marido do mundo! Ele é um homem que não é fanático por video game. E nem por futebol. Jogo mesmo só vimos de perto dois e aqui no Mané Garrincha, em Brasília.

Não conseguimos ingresso para o jogo do Brasil, mas nos divertimos do mesmo jeito!
A primeira vez no estádio da capital brasileira foi para prestigiar o meu querido Galo, que na ocasião, perdeu de 3 a 0 para o Flamengo, e depois para vermos França e Nigéria, na Copa do Mundo de 2014.

Sem falar que o Thiago é o melhor amigo que eu poderia ter: topa de tudo! Nunca reclama ou fala que não vai. Até no concerto da Sinfônica Orquestra de Miami ele foi. E gostou!

Fato inédito para o meu "garoto musiquinha", que me aplicou Charlie Brown Jr., Jack Jonhson e Diogo Nogueira.

Esperando para assistir ao concerto da Orquestra Sinfônica de Miami, em Miami, Flórida, EUA.
Outro grande exemplo dessa paciência é me acompanhar, ainda que dormindo, em todos os planetários que encontramos pela frente. Sou fascinada pelo céu e não perco uma exibição do cosmos por nada!

Já fomos no planetário de Brasília, no de Tóquio, no de Valladolid, no de Nagoya, no da Cidade do México e no de Buenos Aires, pra mim, o mais fantástico!

De todos os planetários, o que mais gostei até hoje foi o de Buenos Aires, na Argentina.
Foi assim também na Terra do Tio Sam. Teoricamente já estava de ótimo tamanho visitar todos os famosos parques de Orlando e jantar no Wynwood, o badalado distrito de Miami dos enormes muros grafitados (adoro esse tipo de arte!).

Mas minha paixão por museus queria mais! Queria dirigir 200 km pela Flórida, de Orlando à São Petersburgo só pra ver o Salvador Dali Museum foi simplesmente demais!

Museu Salvador Dalí, um ótimo motivo pra conhecer São Petersburgo!
Detalhe: essa foi a mesma distância que percorremos de Puerto Iguazú, cidade argentina que faz fronteira com o Brasil, até San Ignacio Miní. Lá vimos de perto as famosas ruínas jesuítas, consideradas Patrimônio Mundial da UNESCO.

O complexo, localizado na Província de Misiones e fundado em 1632, durante a colonização espanhola, chama a atenção dos historiadores. Muitos acreditam que soldados alemães, incluindo Hitler, fugiram pra lá depois de serem derrotados na Segunda Grande Guerra Mundial.

De jornalistas a historiadores em San Ignacio Miní, as ruínas jesuítas da Argentina.
E por falar em guerra, voltemos aos Estados Unidos. Mas pra falar de coisa boa! A façanha não foi só conhecer as obras do gênio Dalí. Meu lado "nerd" também ficou cheio de vontades. Quis chegar até Cabo Canaveral e conhecer o parque da NASA.

E foi o que fizemos! E valeu muito a experiência! Mesmo porque não é todo casal que faz junto até curso da NASA, né?

Casal que faz curso da Nasa junto permanece unido! Rsrs... Em Cabo Canaveral, na Flórida, EUA.
A última aventura foi passar um mês no Japão. Mais um sonho meu que o Thiago me ajudou a realizar! E que logo eu começo a contar aqui!

Foi uma experiência incrível! Foi como estar, literalmente, do outro lado do mundo e de cabeça pra baixo. Tudo a ver, inclusive, com o nosso casamento!

Nosso casamento no Templo da Boa Vontade, em Brasília! Um dos dias mais felizes de toda a minha vida!
A decisão mais difícil e certa que tomei nessa vida! A sacudida que faltava para me tirar do prumo e me colocar no meu caminho. Aquele passo decisivo pelo qual todos nós temos o direito de dar.

Uma jornada incrível chamada vida que, há cinco anos, graças a Deus, eu tenho a honra de dividir com essa pessoa incrível chamada Thiago Inter!

Nessa jornada quero sempre estar assim: aproveitando a viagem ao seu lado! Muito bacana cruzar a ilha de Cozumel assim!
Muito obrigada, metade da minha mochila! Sem você essa trajetória não teria nem um décimo do gosto e do aroma que tem. E meu ânimo para essa Vida de Cozinheiro não seria tão grande!

Você é e será sempre o escritor anônimo desse blog! Seja através de suas belas fotos, das suas sugestões de matérias ou das nossas viagens espetaculares!

É muito gratificante estarmos no mesmo barco. Na Amazônia, então, nem se fala!
Seja, ainda, corrigindo meus textos ou, simplesmente, do seu apoio com as tarefas domésticas. Sem sua ajuda não teria tempo para me dedicar à esse projeto.

Muito obrigada mesmo! Que venham os próximos cinco anos e os Próximos Embarques! E que essa nossa Vida de Cozinheiro seja sempre assim, recheada de boas emoções, sentimentos nobres, verdade e fé!

Kanpai ou saúde (em japonês)!
LEIA TAMBÉM:
. Boas práticas para a vida!
. Orgulho de ser cozinheira!
. Minha Páscoa na Amazônia!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
Gostou desta postagem? Então siga o Vida de Cozinheiro nas Redes Sociais e ajude a divulgar o nosso trabalho compartilhando este conteúdo.


Toda nossa obra é oferecida gratuitamente aos leitores.

Você também pode gostar!

2 comentários

  1. Parabéns pelo blog , canal, marido , casamento , por ser vc ... meu desejo é que vc tenhavtosa fel8cidade, sucesso , melhor dessa vida. Vc sabe que mora no meu coracao . To te esperando na europa pobre. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, amiga querida! Você sabe que também te desejo o melhor dessa vida! Você também mora em meu coração! Pode deixar que iremos fazer uma visita para vocês. Muito obrigada pelo convite, pelo carinho, pelo incentivo e pela audiência! Você, sem dúvida, faz parte dessa minha Vida de Cozinheiro! Saudade! Beijo grande!

      Excluir