Temperos: muito além de alho e sal!

Por segunda-feira, 4 de setembro de 2017 ,


Estava revendo o maravilhoso filme "O Tempero da Vida" e pensando no quanto as especiarias e as ervas aromáticas são grandes aliadas do cozinheiro! Aqui em casa pode até faltar sal, mas ervas e temperos especiais nunca!

Sabe por quê? Explico: esses aromatizantes vegetais, cobiçados desde o Antigo Egito (3000 anos a.C.) tornam qualquer preparação muito mais cheirosa e atrativa ao paladar!

Quer um exemplo? Minha carne moída vira algo de outro mundo, simplesmente porque, ao fritá-la, acrescento três sementes de Cardamomo que ganhei de uma amiga que voltou da Índia. Uma bolinha tão singela, responsável por um efeito incrível!

Cardamomo é uma especiaria que não falta na minha cozinha!
E ainda tem gente que não a conhece ou que nunca ouviu falar... Uma pena. Na minha cozinha, Cardamomo vai bem no purê de abóbora e até na água saborizada! Aliás, caro leitor, tempero não é só alho e sal!

E todo cozinheiro sabe disso! Ou deveria saber, né? É triste que, até hoje, muita gente tenha esse conceito de que temperar é usar alho e sal. Não mesmo! Claro, essa mistura é importante, mas é a base! Deve-se começar por ela e não ter esses dois elementos como únicos ingredientes do seu tempero...

Temperos para deixar sua Vida de Cozinheiro ainda mais feliz! Foto: Joe Mon Bkk / commons.wikimedia.org
Afinal, usar o tempero certo pode, além de realçar o sabor da comida, deixar seu corpo ainda mais saudável! É sério! Não é exagero não! Ou você acha que esse importante comércio de especiarias, expandido a partir das Cruzadas da Idade Média, ficou tão famoso por acaso?

Quem nunca estudou as Grandes Navegações ou a importância da Companhia das Índias Orientais (que, aliás, continua em expansão)?

Por falar nisso, vale citar que o "descobrimento" das Américas por Cristóvão Colombo, em 1492 se deu, inclusive, por conta desse mercado. Ou você já se esqueceu da sua professora de história contando as peripécias do famoso navegador italiano

Colombo chegou às Américas motivado pelas cobiçadas especiarias... Foto: Joe Mon Bkk / commons.wikimedia.org
Lembrou? Pois é, após a tomada de Constantinopla, em 1453, quando a rota dos mercadores passou a ser bloqueada por conta do domínio turco, Portugal e Espanha começaram a procurar um caminho alternativo para se chegar às principais cidades da Ásia (China e Índia, no caso).

E foi nessa brincadeira que os espanhóis, contornando a África, na certeza de que tinham chegado ao oriente, acabaram descobrindo a América!

Por toda essa história de lutas, conquistas e mistérios que envolvem o tema que eu, quando estou na beira do fogão, costumo brincar que a panela é o meu caldeirão de bruxa. E que estou ali desenvolvendo minhas poções.

Temperos: ingredientes de uma poção mágica! Foto: James Gordon / commons.wikimedia.org

Porque é despejando um pouco de cada pozinho que a mágica acontece! Rsrs... Tá, não é tão fácil assim. Ervas aromáticas e especiarias são algo muito pessoal.

Eu, pelo menos, não gosto de todos os temperos (pimenta não me agrada de jeito nenhum!) e acredito que, dependendo do prato, tem uns que combinam mais que outros.

Mas, independentemente da sua preferência, não se esqueça: cada uma faz bem para uma coisa e, no fim, seria bom pra saúde comer um pouquinho de todas. 


Dica: eu sempre misturo uma erva aromática com outra (ou outras) desidratada e, ainda, com, pelo menos, dois tipos de especiarias. Das ervas frescas, na minha geladeira sempre tem cebolinha e, quando encontro, salsinha (aqui em Brasília é mais difícil achar salsa porque todos só usam coentro).

Acho que esses dois verdinhos combinam com tudo! Para estimular a sua criatividade ou, até mesmo, facilitar a sua vida, apresento algumas misturas famosas desse universo culinário:

Arte traduzida do site Cooksmarts.com
Detalhe: o povo Cajun, citado na arte acima, são os descendentes dos acadianos expulsos do Canadá que se fixaram na Luisiana, um estado do sul dos Estados Unidos. Esta população tem uma cultura bastante rica, na qual se destaca a gastronomia, conhecida mundialmente como culinária crioula.

Aliás, difícil falar de gastronomia e não falar de mundo, né? Eu, inclusive, sou a prova de que esses dois assuntos combinam perfeitamente! Afinal, o que seria do Vida de Cozinheiro sem o Próximo Embarque? Rsrs...

E já que a gente está falando do site do maridão e de volta ao mundo, nada melhor que destacar também os temperos mais usados nas culinárias mais fascinantes do planeta:

Arte traduzida do site Cooksmarts.com
Também deixo registrado aqui os temperos da minha Vida de Cozinheiro! A "listinha", inclusive, é imensa! Rsrs... E de básica não tem nada!

No feijão, além do louro em pó e do tempero de alho+cebola+salsa desidratado (que eu compro pronto em um supermercado em BH chamado Verdemar) eu também uso sempre um pouco de cebolinha. Acho que o verdinho fresco dá uma alegria maior ao feijão...

No arroz eu só uso o meu tempero verde, receita da minha amada vovó Neném. Nas carnes (bife de porco e de boi) normalmente só vai sal (aqui em casa eu só uso o sal rosa do Himalaia granulado e moído na hora) e pimenta-do-reino também moída na hora.

Sal rosa, um dos queridinhos daqui de casa!
No peixe, se for filé grelhado, costumo usar uma mistura que eu faço de sal, cúrcuma (açafrão-da-terra), páprica, salsa desidratada e pimenta rosa.

Se for peixe refogado (com molho) eu abuso da salsinha fresca ou do coentro (quando não encontro a salsa) e ainda acrescento o alho-poró desidratado e o funcho ou dill desidratados.

No meu bife de hambúrguer caseiro eu faço a festa: coloco sempre um pouco de hortelã desidratado, cebola em flocos desidratada, garam masala, herbes de Provence, sálvia e chimichurri (que é uma mistura de várias ervas. O daqui de casa tem: orégano, alho, tomilho, pimentão e salsinha). 

Acrescento Chimichurri em quase tudo! Foto: Tim Sackton / Flickr
Na minha farofa de cebola (bacon, cebola e farinha de mandioca), salsa fresca nunca pode faltar! E, para dar uma crocância, coloco também sementes de mostarda. Dá um gostinho todo especial!

Em todos os meus patês e pastas, principalmente o de alho-poró, eu coloco gergelim preto porque acho que fica ainda mais lindo! 

Os legumes cozidos, principalmente chuchu, cenoura, abobrinha e abóbora, são refogados com colorífico (urucum) para realçar a cor e gengibre em pasta. Fica muito bom!

Gengibre deixa os legumes com um gostinho todo especial!
Nas sopas, para dar um colorido mais picante, sempre coloco um pouquinho de Sardela (pasta bem picante, à base de aliche, pimentão vermelho, tomate, alho)... 

Bem, são tantas opções que fica até difícil dizer o que comprar. O que sei é que existem combinações que potencializam os benefícios para a saúde. Páprica, cúrcuma e pimenta-do-reino juntos são uma fórmula anticâncer. Foi o que aprendi assistindo ao Globo Repórter sobre o poder das ervas e especiarias.

Alguns dos muitos temperos que uso diariamente na minha cozinha!
Aliás, conhecimento nesta área nunca é demais. Estou sempre lendo artigos científicos sobre estas substâncias e o caráter medicinal delas. São tantas informações interessantes! O importante mesmo é usar algo, principalmente para diminuirmos o uso do sal em nossas preparações...

Mas cuidado com o lugar que você irá comprar as especiarias porque, como esses produtos demoram muito para estragar e nem sempre são vendidos em grande quantidade, você pode acabar levando tempero velho pra casa...

Uma das muitas lojas de temperos do Mercado Central de BH. Tem um pouquinho de tudo, uai!
E não tem problema se você não sabe identificar as ervas do seu tempero! Se você gosta do sabor é o que importa. A dica é ir ao mercado e comprar um pouquinho (pouquinho mesmo tipo 25 gramas) de cada tempero e ir provando um a um.

Com relação às ervas frescas, nunca compre muita variedade de uma só vez porque em uma semana vai ser difícil usar toda a salsinha, a cebolinha, o manjericão, a hortelã, o salsão...

Eu tenho um punhado de cebolinha (ou dois no máximo) na geladeira (aqui em casa o verdinho costuma durar, sem melar, até uma semana) e vou testando os sabores...

Coloco cebolinha e salsinha em quase tudo o que faço. Adoro!
Por que temperar só com alho e sal? Sim, são ótimos temperos (e são a base do meu incrível tempero verde)! Mas não são os únicos!

Tenho certeza que no mercado municipal de sua cidade ou até mesmo ali, na vendinha da esquina, existem várias opções interessantes (desidratadas ou não) esperando por você!

Saia do lugar comum! Deixe que o sal cumpra a sua função, que é a de salgar! E, junto dele, abuse das ervas e especiarias em suas preparações!

Nos meus potinhos, de cima pra baixo: cúrcuma, alho e salsa, cebola desidratada e pimenta rosa.
Descubra o cheiro terroso da noz-moscada, a bela color que a cúrcuma (açafrão-da-terra) pode dar ao prato, o toque perfumado do cardamomo, o azedinho do gengibre, o gosto forte do cominho, o sabor picante do alecrim, as propriedades medicinais da páprica, o diferencial de se usar baunilha em preparações salgadas...

São tantas possibilidades! É o mais legal: é você que decide o que e quanto usar! E por isso é tão divertido! 


Cheiro que faz bem pra alma...
Quer conhecer mais de perto as ervas aromáticas e, que quebra, aprender um pouco de arte? Aproveite para visitar o Inhotim, um incrível museu localizado em Brumadinho, Minas Gerais. 

O espaço reúne um imponente jardim botânico e prédios que abrigam belíssimos exemplares da arte contemporânea. O complexo é um os 25 melhores museus do mundo, como revela o Próximo Embarque, o site de viagem do maridão.

No jardim de ervas do Inhotim, em Brumadinho, Minas Gerais.
Tenho certeza que, se você também ama cozinhar, vai se divertir com essa brincadeira de experimentar novas ervas e especiarias. Lembrando sempre que o que "combina" é o que te faz bem e te deixa feliz! Te desejo ótimas experiências gastronômicas, tá?


Foto da Capa: Dina Said / commons.wikimedia.org


LEIA TAMBÉM:
. Tempero Verde da vovó Neném!
. O Tempero da Vida!
. Mirepiox, o Fundo de Legumes Tradicional!
---------------------------------------------------------------------------------------------------------
Gostou desta postagem? Então siga o Vida de Cozinheiro nas Redes Sociais e ajude a divulgar o nosso trabalho compartilhando este conteúdo.


Toda nossa obra é oferecida gratuitamente aos leitores.

Você também pode gostar!

2 comentários