Gastronomia da Europa Central

By 09:09 , , , , ,

O Semmelknödel tem formato de almôndega, mas é uma bola de pão.
Conhece essas bolinhas brancas? Já provou? Esse é o Semmelknödel, outro tradicional prato austríaco que conheci em Viena. A bola mais parece uma polpeta desbotada e, pra falar a verdade, não é algo visualmente muito atrativo não. 

Mas vai por mim: não é tão estranho ao ponto de te fazer desistir da refeição! Aliás, eu, normalmente, depois de experimentar algo novo, acabo gostando. Pouquíssimas receitas nessa vida provei e não quis continuar comendo...

Com o Semmelknödel foi assim: adorei! E que bom que o sabor era ótimo porque estávamos morrendo de fome! Tínhamos acabado de chegar em Viena, estava nevando (frio de -2 graus Celsius), já eram quase duas da tarde (a gente tinha acordado em Paris às 5 da manhã) e nada iria me dissuadir a bater aquele pratão! Rsrs...

Goulash com Semmelknödel: meu primeiro almoço em Viena!
Tá, não foi a iguaria mais saborosa que comi na Áustria, confesso. Mas valeu pela bagagem gastronômica/cultural adquirida. Aprendi, por exemplo, que a etimologia da palavra que dá nome ao prato já explica o que essa bolinha é: "semmel" designa "pão" e "knödel" significa "coisa redonda".

E mais: pra quem não sabe (eu nem fazia ideia) descobri que essas esquisitas almôndegas de pão são bem tradicionais na região, sendo bastante consumidas na Alemanha e na República Tcheca também.

Em Praga, inclusive, chegamos a prová-las outra vez. O acompanhamento é conhecido por Houskové Knedlíky e, em vez de ser redondo, é servido em rodelas, igual a uma ciabatta cortada em fatias. O formato diferente mas o mesmo sabor... Muito bom!

Svíčková do restaurante Kolkovna Savarin: um dos mais famosos pratos da gastronomia tcheca!
Aliás, as culinárias alemã, austríaca e tcheca são muito parecidas. Pães, carne de porco, linguiça e batata são ingredientes recorrentes em todos os cardápios! Do restaurante mais simples ao mais suntouso! Semelhanças explicadas pela proximidade territorial e pela longa relação de "amor e ódio" pela qual essas três nações já passaram juntas.

Sabe aquela brincadeira de dominar o mundo? Pois é, não é só jogo da Grow ou alucinações de um desenho animado. Foi o que, basicamente, os alemães fizeram ao longo da história recente... E nessa frenética corrida para anexar cada vez mais territórios, Áustria e República Tcheca não ficaram de fora...

O que teria de mais legal pra fazer em vez de dominar o mundo? Rsrs...
A Áustria, que já tinha sido dominada pelo Império Romano no século 15 a.c.,  e que muito tempo depois, em 1867, tinha virado potência mundial, compondo o famoso Império Austro-Húngaro, acabou, em 1938, sendo anexada à Grande Alemanha pelo regime nazista. 

A dominação se estendeu até 1945, com o fim da Segunda Grande Guerra, mas as influências germânicas continuam presentes no país. Tanto que o idioma oficial da Áustria é o alemão, falado por 98% dos austríacos.

E, se na oralidade é assim, difícil querer que na gastronomia seja diferente, né? O mesmo aconteceu com a República Tcheca. O território, que já passou por inúmeras divisões e ocupações, e que também já tinha feito parte do Império Austro-Húngaro, experimentou a dominação alemã no mesmo ano que os austríacos: 1938.

Proximidade territorial que se traduz em semelhanças gastronômicas... Foto: Stefan Eartmann / Wikimedia.org
Pelo Pacto de Munique, Hitler ficou com parte da Tchecoslováquia onde viviam 3 milhões de alemães. Mas a assinatura do acordo não foi suficiente para conter os ânimos do führer que um ano depois, em 1939, decidiu ficar com tudo, invadiu o resto do país e ocupou Praga. 
        

Na Tchecoslováquia (República Tcheca e Eslováquia, desde 1993), bem como na Áustria, os anos de dominação não se estenderam muito, mas foram suficientes para impregnar a marca alemã no território. O idioma oficial pode até não ser o alemão (lá se fala tcheco, tá?) mas a comida é bem germânica!

Tanto que poderia apresentar essa foto aí embaixo como sendo um prato alemão e você nem iria notar o erro...

Moravian Sparrow, tradicional prato tcheco que comi em Praga!
Esse é o Moravian Sparrow do restaurante Kolkovna Savarin, uma tradicional receita tcheca feita com assado de porco, cebola, repolho e pão. O mesmo acontece com essa outra receita aí:

"Old Viennese Baked Meat" do restaurante Kaiser's, em Viena, na Áustria.
O prato em questão foi a escolha do maridão no almoço das polpetas brancas, no restaurante Kaiser's, em Viena. Muita batata, os mesmos crisps de cebola e um molho igualmente dourado e saboroso... Aliás, batatas são o acompanhamento perfeito para qualquer prato da região.

E as versões do tubérculo são uma melhor que a outra. Naquele mesmo dia em Viena, no jantar, o Thiago provou uma outra cara do popular carboidrato: uma salada de batatas!

Salada de batatas do restaurante Huth Gastwirtschaft em Viena, na Áustria.
A receita, do restaurante Huth Gastwirtschaft, faz dupla perfeita com o não menos tradicional Wien Schnitzel.

Scnitzel, o tradicional escalope à milanesa da Europa Central
A iguaria bastante consumida em Viena é, na verdade, de origem italiana! Reza a lenda que um comandante do exército austríaco levou a receita para o país natal em 1857. E Feldmarschall Redetzky ficou tão empolgado com o gosto inconfundível daquele escalope empanado, macio por dentro e crocante por fora, que ensinou pessoalmente a nova receita ao chef de cozinha imperial.

Outra versão igualmente famosa sobre a origem do "bife dourado" revela que a arte de empanar a carne é bem mais antiga. Migalhas de pão já eram utilizadas para tal fim em Veneza, no ano de 1514. Outro detalhe curioso é que, inicialmente, lá no Império Bizantino do século XII, folhas de  ouro faziam as vezes do pão. 

Já imaginou encapar carne com folhas de ouro? Foto: James St. John / Wikimedia.org
Ah, já ia esquecendo. As falsas polpetas que me motivaram a escrever esse texto não mataram sozinhas a minha fome! Mesmo porque, cansada e com frio, um paõzinho redondo não resolveria meu problema...

Carne é o que faria (e fez) a minha alegria! Aliás, para a tristeza dos vegetarianos, é difícil encontrar um tradicional prato nessa região que não contenha algum suculento pedaço de carne ou algum embutido defumado ou, ainda, conservas de salsichas marinadas em azeite e vinagre temperado.

Assim, as bolinhas brancas, no Kaiser's, são servidas juntamente com o Goulash. O prato, de origem húngara, na verdade, se chama Gulyás e nada mais é que uma  sopa feita com carne, páprica e legumes.

Goulash, pra mim, o acompanhamento perfeito para o Semmelknödel.
O nome vem de "gulya" que, em húngaro, significa "rebanho de gado bovino"O Gulyás é o prato nacional da Hungria e é amplamente consumido na Áustria por motivos óbvios. Afinal, durante tantos anos fazendo parte do Império Austro-Húngaro (de 1867 a 1918) esses dois países compartilharam muito mais que moeda, estratégias políticas e diretrizes administrativas.

E o ganho dessas alianças entre Áustria, Alemanha, República Tcheca, e todos os países centrais do continente europeu (que eu ainda quero visitar!) pode ser hoje aproveitado por qualquer um de nós.

Seja você cozinheiro ou amante da boa gastronomia a dica é a mesma: no seu Próximo Embarque, dê  uma chance aos pratos! Essas delícias gastronômicas simples, caseiras e seculares, encontradas em restaurantes de toda a Europa Central, podem se tornar a melhor lembrança das suas conquistas territoriais!

------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nós te ajudamos com esta postagem? Então siga o Vida de Cozinheiro nas Redes Sociais e ajude a divulgar o nosso trabalho compartilhando este conteúdo.


Toda nossa obra é oferecida gratuitamente aos leitores.

Você também pode gostar!

0 comentários