Cidade do México em 360 Graus

By 11:30 ,

Vista do restaurante giratório da Cidade do México. Foto: Restaurante Bellini divulgação.
Qual o melhor ponto para se observar uma cidade? Há quem diga que seja do alto. Eu concordo. Principalmente se for do topo de um belo prédio, confortavelmente acomodada, comemorando o aniversário de casamento e sentindo, literalmente, o mundo girar aos seus pés...

A Cidade do México vista do alto...
Não, caro leitor. Eu não enlouqueci. Rsrs... Esta só é uma explanação romântica do que foi, pra mim, jantar no restaurante giratório da Cidade do México. Contando pode parecer besteira, mas foi um passeio inesquecível!

O prédio World Trade Center, na Cidade do México. No topo, em formato redondo, o restaurante Bellini.
Não tanto pela comida, que (sendo bem franca) deixou muito a desejar. Mas a experiência de uma refeição agradável (por incrível que pareça) vai muito além do sabor, né? O Bellini Restaurante representa bem essa ideia. Vista deslumbrante, ambiente agradável, garçons simpáticos, mesa bem posta e pratos mais ou menos.

Prato do maridão: filet mignon, purê de batatas e legumes salteados...

Falando assim, pode até parecer que sou exigente demais. Mas quem cozinha sabe quando o estabelecimento está "super valorizando o produto". A apresentação do prato do meu marido estava até bonita e a refeição dele, saborosa. Mas como errar num filet mignon?

Já a minha escolha não foi tão proveitosa assim... Pedi um risoto de arroz negro com lulas empanadas. A lula estava correta, no ponto. Mas o arroz... Quanta decepção! Pra começar aquele grão não era negro e o resultado, além de visualmente feio, passou longe de ser um risoto... 

Meu prato: risoto de arroz negro com lulas empanadas...

Há quem pense o contrário (e é obvio que existe) mas, pra mim, a comida do Belline só tem "estampa": é sem gosto, sem graça e sem noção!

Ainda sim, recomendo o local! Vale pela deslumbrante vista! E se, algum dia, voltar ao México com meus familiares farei questão de levá-los lá.

Tá, ninguém comete o mesmo erro duas vezes. Talvez faça a reserva para um happy hour (apreciando o pôr-do-sol) ou só para degustar a sobremesa, que foi o charme do meu jantar!

Um ano vivendo juntos!!! Eeee!!!
Não posso ser injusta. Estávamos ali para apreciar a vista e comemorar um ano de casados. Como tinha mencionado esse fato no momento da reserva, os garçons nos trataram de maneira diferenciada.

Nos deram uma excelente mesa e ainda nos fizeram uma surpresa: ao final do jantar ganhamos um um pedaço de torta em comemoração à data. Achei muito fofo e nisso o restaurante foi impecável!

Mas se você não quer se arriscar tanto e, ainda assim, pretende conhecer o espaço, outra boa opção é o Brunch do Bellini, servido sempre aos domingos, de 9 da manhã às 2 da tarde.

Inúmeras opções do brunch, servido no Bellini sempre aos domingos. Foto: Restaurante Bellini divulgação.
Provavelmente esta, ao meu ver, seja a melhor e a minha próxima escolha! Porque eu voltaria sim ao maior restaurante giratório do planeta, que completa a volta em torno do eixo a cada 45 minutos. 

Uma rotação suave, quase imperceptível! Mas que te permite, ao término do jantar, contemplar os 360 graus desta grandiosa paisagem (detalhe: o Bellini fica no 45º andar do World Trade Center, um dos maiores edifícios da cidade).


Aliás, viajaria infinitas vezes para a Cidade do México! Porque o país (palavra de quem passou 20 dias nessa belíssima terra e conheceu 15 cidades) é muito mais que os resorts de Cancún!

E, nesse sentido, a Cidade do México é um panorama completo dessas belezas mexicanas espalhadas por todo o território... Em um só lugar podemos conhecer a riquíssima história desse maravilhoso país.

Até zona arqueológica a cidade possui... E a mais famosa delas, mesmo não estando dentro dos contornos da Cidade do México, fica bem pertinho! São as famosas ruínas de Teotihuacan. Do alto da "Cidade dos Deuses", a 50 quilômetros da capital, também é muito bonito! Um lugar mágico! Passeio imperdível!!!

No topo, pensando na vida... 
Outro sítio arqueológico igualmente famoso,  que fica bem no centro da Cidade do México,  é o Templo Mayor. Além do campo, o espaço contempla  um belo museu onde ficam expostos os objetos encontrados durante as escavações.

O maridão e a fonte dos desejos do Templo Mayor.
Na foto acima, ao fundo, podemos avistar a exuberante Catedral Metropolitana da Cidade do México. Esta imponente obra está localizada na Praça da Constituição, a quarta maior praça do mundo e o coração da identidade mexicana.

Praça da Constituição da Cidade do México: a imponente Catedral Metropolitana da Cidade do México e o Palácio Nacional.
Lá, além da Catedral, visitamos o Palácio Nacional e aprendemos um pouco  sobre a organização do poder executivo federal.

O pátio central do Palácio Nacional, na Cidade do México.
Ainda na Praça da Constituição, pegamos o organizado metrô e rodamos bastante pela maior cidade da América Latina. Descendo na estação Coyoacán (que dá nome ao bairro) conhecemos o museu "Casa Azul", a famosa residência de Frida Kahlo.


A cozinha de Frida Kahlo...
E foi nessa visita, aprendendo sobre a vida de Frida que conheci (e me apaixonei) pelo legado de Remedios Varo... Gostei tanto que quis visitar também o Museu de Arte Moderna.

Lá tive o prazer de me emocionar com os belos registros da artista, em destaque na exposição "La Danza de los Espectros".

Mujer Saliendo del Psicoanalista, Remedios Varo, 1961. Pra mim, uma das telas mais significativas da obra de Remedios.
Uma imersão inesquecível nesse fantástico mundo surrealista que eu adoro... Virei fã!

E aí, faço outro "adendo": se você também é fã desse universo mágico, não perca a exposição "Frida Kahlo: Conexões entre as Mulheres Surrealistas no México". Até o dia 5 de junho de 2016 a mostra está em cartaz no espaço Caixa Cultural de Brasília (eu já fui e adorei!).  Dica: se a exposição não for montada na cidade em que você mora ainda tem como fazer um tour virtual pelas obras através do site do Instituto Tomie Ohtake

Voltando ao Distrito Federal do México, ainda no Museu de Arte Moderna, tivemos também a chance de voltar a ser criança, interagindo com as curiosas esculturas da exposição "Silencio, Humor, Grito"...


E se, a essa altura, você acha que já foi muita cultura pra uma única cidade é porque você ainda não visitou o Museu Nacional de Antropologia. As 23 salas que compõem o espaço, fundado em 1964, recebem 2 milhões de espectadores por ano.

Não é lindo esse Museu Nacional de Antropologia???
Difícil não se encantar com tamanha grandiosidade. O espaço é tão gigantesco (quase 80 mil hectares) que abriga inúmeras reproduções, em tamanho real, de cenas tipicamente mexicanas. A que mais me chamou a atenção, pela simplicidade e pureza, foi a da foto abaixo.

Reprodução de uma capela mexicana, em exposição no Museu de Antropologia da Cidade do México.

Aliás, falar do México e não citar a fé é uma coisa quase impossível de se pensar... No país onde o povo reverencia a morte para celebrar a vida (definitivamente, eu adoro as caveiras!!!) a crença em algo maior é um patrimônio imaterial sagrado.

Uma energia que também faz parte do roteiro. Pegando o metrô e descendo na estação La Villa- Basílica você pode visitar todo o complexo da Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, composto pela Antiga Basílica (construída no século XVI) e o novo templo (inaugurado em 1974). 

Santuário da Basílica de Nossa Senhora de Guadalupe, na Cidade do México. À esquerda, a igreja nova e, ao centro, o antigo templo.
Bem, não sei qual a sua fé e nem cabe aqui discuti-la. Mas eu sou devota de João Paulo II e tive o prazer de receber as bênçãos das mãos dele durante a passagem do Papa por Belo Horizonte, em 1980. 

Na época eu tinha 2 anos e estava com a minha primeira cirurgia do coração marcada. Por conta disso, minha mãe resolveu enfrentar a multidão que tomou conta da Praça do Papa e conseguiu com que João Paulo II tocasse minha testa. 

Minha cirurgia foi um sucesso e, além da competência do brilhante cardiologista Sérgio Almeida, parte desse feito atribuo à bênção do Papa, de quem sou grande devota. No Santuário de Guadalupe tive não só o prazer de agradecer a Deus por minha vida como de, novamente, receber a energia desse santo homem. 

Sou fã desse João Paulo II...
O registro de um momento que vai ficar pra sempre em minha memória...

Mesmo porque, voltei do México já com vontade de marcar a próxima visita... Tantas coisas incríveis que valem o "repeteco"!!! E tantas outras que não deu tempo de visitar... Thiago fala que o mundo é grande e que ainda temos muito pra conhecer... 

Concordo, mas fico pensando: como assim não voltar à Cidade do México se eu nem assisti a um concerto no Palácio de Bellas Artes ou apreciei a sonoridade do majestoso Órgão do Auditório Nacional???

Palácio de Bellas Artes da Cidade do México.

Mas o maridão está certo. No México aprendi que o mundo gira e sei que ainda tem muita cidade pra gente, literalmente, rodar!!!!

P.S.: Por enquanto só conheço o Bellini, mas os outros restaurantes giratórios famosos que ainda pretendo conhecer são:

Restaurante giratório de Berlim, Alemanha. Foto: facebook.com/Berliner Fernsehturm
- A Berliner Fernsehturm, em Berlim, na Alemanha. O restaurante fica na torre de TV localizada na Alexanderplatz, no centro da capital. A torre de 368m de altura foi inaugurada em 1969 e é símbolo da cidade. A estrutura é a quarta maior sem apoios da Europa. A plataforma de visitantes está a uma altura de cerca de 204 m acima do solo.

Restaurante giratório de Las Vegas, Estados Unidos. Foto: Top of the World divulgação.
- O Top of the World, em Las Vegas (EUA), que fica a mais de 240 metros de altura na torre do famoso hotel Stratosphere. Lá, o restaurante gira 360 graus a cada 80 minutos e os frutos do mar são a especialidade da casa.

- O El Giratorio, em Santiago (Chile),  que fica no 18° andar do 2250 da Avenida 11 de Septiembre, no bairro de Providencia. De dia, além da vista da cidade, pode-se contemplar a Cordilheira dos Andes.

Restaurante giratório de Santiago, no Chile. Foto: El Giratorio divulgação.
- O CN Tower, em Toronto (Canadá), que é o principal cartão postal e o símbolo da cidade. A cada 72 minutos, a Canada’s National Tower dá uma volta completa em torno do eixo. O restaurante 360 possui uma variedade de comidas, além de sua própria adega de vinhos.

- O The View, em Nova Iorque (Estados Unidos), bem no coração da Times Square. O piso rotativo faz a volta completa em 1 hora, com uma vista para prédios históricos e monumentos.

Restaurante giratório de Nova Iorque, nos Estados Unidos. Foto: The View divulgação.
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Nós te ajudamos com esta postagem? Então siga o Vida de Cozinheiro nas Redes Sociais e ajude a divulgar o nosso trabalho compartilhando este conteúdo.

[Facebook] [Instagram] [Twitter] [Pinterest]

Toda nossa obra é oferecida gratuitamente aos leitores.

Você também pode gostar!

0 comentários